-



Found 58 results.



VISITANTE DO BLOG: Rabudo Guloso de Belo Horizonte - MG
18.04.2014 , PARA?SO AFRO 1

Sou rabudo guloso e muito safado. Adoro negão safado e sacana igual  a mim, se forem pauzudos melhor ainda. Vem me fuder, moro em "BH" !

Deixe seu contato nos comentários.









Gay Dotado – Fotos Gay: Veja o Dotadão Antonio Biaggi Excitado nu
29.03.2014 , My Dirty BlogGay Dotado – Fotos Gay: Veja o Dotadão Antonio Biaggi Excitado nu:

decejossecretos:

Gay Dotado – Fotos Gay: Veja o Dotadão Antonio Biaggi Excitado nuAntonio Biaggi 01Antonio Biaggi 02Antonio Biaggi 03Antonio Biaggi 04Antonio Biaggi 05Antonio Biaggi 06

gay dotadoGay Dotado Fotos de Atores Porno gay Bem Dotado nu de Pau Duro. Confira a galeria de fotos de Antonio Biaggi peladão mostrando big pau duro. O Cara e muito bem dotado e um tremendo puto na cama, com seu mega caralho grande e grosso esse bofe arregaça gostoso o cu dos passivos que passam por sua vara. Veja fotos de homens gays big dotados nu de pau duro.

Kewerson entrevista o garoto de programa Harry Lins
04.01.2014 , O Assustador Mundo do Sexo Entre Homens


Kewerson:  Oi, Harry!

Harry: Oi Queridão

Kewerson: Tudo bem?

Harry: Sempre

Kewerson: Quer falar desse seu novo ensaio no heliporto?

Harry: Foi algo que não planejei de forma alguma, foi tudo em cima da hora, tipo dois dias antes me deu essa ideia de fazer um ensaio em cima de um arranha céu de São Paulo. O resultado foi maravilhoso, magnifico, não sei sou suspeito em falar de tudo isso. Foi um dos melhores que já fiz, não tive dificuldade alguma de ficar peladão, sou muito exibicionista, me sinto muito á vontade e super seguro confiando sempre em meu fotografo. Por isso sempre sai um ensaio mais valioso e especial que o outro.






Kewerson: Vi suas fotos no site Netgay. Aquelas fotos iniciais estão ótimas, bem produzidas. Onde foram feitas?

Harry: Foram feitas em uma floresta de Pinhais, à beira da Rodovia Anhanguera e em cima do Rodoanel da rodovia Imigrantes, outro foi em uma obra onde estou vestido a caráter, foi praticamente um dia inteiro fazendo essas fotos onde fiquei exausto e junto comigo meu namorado na época que foi super gente boa e me ajudou muito. Agradeço ao meu fotógrafo e seu assistente que foram mais que especiais para fazer esse lindo trabalho.


Kewerson: Há quanto tempo você faz programas?

Harry:  Há 7 anos

Kewerson:  E como foi o início? Alguém te conduziu? Algo assim?

Harry: Não, ninguém me induziu a fazer programa, na época eu só recebia elogios por varias pessoa que tinha porte e que eu ia ter uma vida de grande porte no mundo da prostituição masculina no Brasil. Minhas qualidades, instrumentos, corpo, enfim dentre muitas coisas e decidi por eu mesmo seguir essa vida. O inicio foi super tranquilo, não tive empecilho algum sobre o que vinha pela frente, estava ciente do que eu queria fazer e de como seria a minha vida daquele momento em diante se eu me dedicasse mesmo.

Kewerson: Sentiu-se embaraçado no primeiro programa?

Harry: Não, muito pelo contrário. Foi algo que não me esqueço até hoje, foi com o carro que na época eu admirava muito, e entrando naquele carro me senti outra pessoa me deparando com uma pessoa maravilhosa e que até hoje me segue e converso. Sinceramente foi ali naquele momento que senti que eu tinha muita coisa pra viver e que eu me daria muito bem levando essa vida em diante.

Kewerson: Como foi?

Harry: Claro que fiquei nervoso, tenso, mas conversei antes de tudo, tomei um vinho, um banho, vê um filme e depois seguir pro ato em sí onde senti maior excitação e mandar muito bem nesse meu primeiro programa. Foi maravilhoso ressaltando aqui novamente.

Kewerson:  Quais são suas medidas?

Harry: Pés 43, altura 190m, 21 cm de dote, 84 kg, bunda grande, peito definido, cintura bem fina e definida com um abdome proporcional ao meu corpo trabalhado na medida certa sem exageros.






Kewerson: Eu já li em vários sites e blogs que você é um dos garotos de programas mais procurados e badalados de SAMPA? Isso procede?

Harry: Sim e não, sou uma pessoa normal, simples mas sofisticado, sou bem conservador com minha imagem. Sou atencioso, educado, gentil, procuro entender as pessoas, coisas simples que vem de berço, ao contrário de muitos que existem por aí, ganhei fama na mídia por esses fatos e por dar à cara a tapa pra sociedade e defender que o caráter faz o homem acima de tudo em qualquer profissão.

Kewerson: Uma revista te intitulou o Artista do Sexo. O que achou disso?

Harry: Agradeço muito por esse reconhecimento onde me abriu e abre até hoje portas de grandes trabalhos. Carrego comigo até hoje esse Título de Artista do Sexo Made In Brazil. E faço jus a tudo isso.

Kewerson: Você sente prazer pra valer com homens?

Harry: Sim, claro. Namoro homens e só me relaciono com homens.

Kewerson: Nos programas, você beija na boca?

Harry: Sim beijo em alguns e outros não pelas pessoas que estou acompanhando sentirem que beijo é muito intimo.

Kewerson: Chupa um cacete?

Harry: Sim. Sou um amante de um cacete limpo, muito bem higienizado, depilado e cheiroso.

Kewerson:  Gosta de ser chupado?

Harry: Amo demais ser mamado até o talo.

Kewerson: Algum cliente já pediu para você gozar na boca dele?

Harry: Sim, várias vezes.

Kewerson: O que acha disso?

Harry: Acho maravilhoso o rapaz sugar até a ultima gota que existir.

Kewerson: Faz sexo hard? Bate, amarra, pinga cera de vela, enfia objetos? Você faz coisa desse tipo numa boa?

Harry: Experiente nesses tipos de sexo. Selvagem e Hard é algo que me dá muito tesão em fazer.


Kewerson:  Sua ereção é boa? Você fica excitado com facilidade?

Harry: Sempre boa, fico excitado facilmente, de um cliente a outro preciso de meia hora a 40 minutos de descanso para eu voltar com tudo.

Kewerson: Já precisou tomar o comprimidozinho azul para comer algum cliente?

Harry: Sim tem dia que atendo 6 a 7 pessoas e tenho que dar o meu melhor pra cada um deles.  Mas não preciso disso pra foder gostoso, assim como qualquer um ao atender vários assim dessa forma em um dia precisa claro de um estimulo pra fazer bonito.





Kewerson: Faz ativo e passivo numa boa? Do que gosta mais?

Harry: Sou muito ativo pelo pau grande que tenho e pela pegada de macho que proporciono, sou macho passivo insaciável e convicto. Gosto tanto de um quanto de outro, sendo ativo proporciono um sexo maravilhoso, sendo passivo chego ao ponto de gozar sem me tocar pelo prazer que tenho, mas isso não me deixa de ser homem, não tenho preferencia, ambos são minhas preferências.

Kewerson:  Você é dominador, romântico, selvagem, agressivo, sensível?

Harry: Sou dominador nato, plus romântico e carinhoso, selvagem ao extremo, agressivo de deixar o rapaz aos meus pés e se apaixonar pra quem gosta dessa fantasia. Sensível ao ponto de chorar quando vejo histórias de vida lindas.

Kewerson: Você consegue perceber quando te pedem para parar, mas, na realidade, estão querendo dizer  "mete mais"?

Harry: Como profissional e experiente percebo fácil.

Kewerson: E o que você faz?

Harry: Faço a pessoa sentir o poder que tenho quando estou em ação, deixo-a tremendo de tesão, seguro firme e meto pica até eu saciar toda minha virilidade.

Kewerson: Já teve de ser muito agressivo a pedido do cliente? Dar porrada mesmo?

Harry: Já, sim

Kewerson: Gostou?

Harry: Demais, chego a fazer eles se gozarem todo com essa forma de mostrar quem manda.



Kewerson: O que você não faz de forma alguma?

Harry:  Sexo sem preservativo.

Kewerson:  Já recebeu algum pedido muito bizarro?

Harry:  Scat

Kewerson: Algum cliente não deu conta desse seu pauzão e pediu para parar naquela hora? Implorando...

Harry: Já mas segurei firme e mandei ver na piroca até eu me saciar.

Kewerson: Você mete pra caramba! Gosta de fazer caras chorarem na sua pica?

Harry: Nossa, me sinto muito bem ouvindo gemidos altos, e o cara aguentando firme.

Kewerson: O que você pensa disso?

Harry: Penso no desejo que o cara tem a ser dominado dessa forma. Isso é delicioso pra eu sempre fazer isso, é meus melhores programas que atendo. Melhores clientes.



Kewerson:  Você tem um bundão bem gostoso... Muitos pedem para te comer?

Harry: Muitos e eu não me faço de rogado.  

Kewerson: Qual a  parte do seu corpo que os clientes, de uma maneira geral, mais gostam?

Harry: Peitoral e boca

Kewerson: E qual a parte do seu corpo que você gosta?

Harry: Bunda

Kewerson:  Sente tesão ao ser tocado nesse seu peitão grande e forte? Nos bicos do peito? Eu adoro peito masculino saliente.

Harry: Infelizmente não tenho tesão no peito. Sinto tesão em toque, carinho no meu corpo.

Kewerson: E essa sua tatuagem no peito? Algo a ver com religiosidade ou foi uma escolha pelo desenho mesmo ou pela polêmica?

Harry:    É uma homenagem ao meu irmão que perdi há quase 3 anos. Carrego ele comigo sempre. Uma forma de me lembrar dele pra sempre.

Kewerson: Você já fez filme pornô?

Harry: Já fiz sim, alguns.

Kewerson: O que acha disso?

Harry:  Bom pra mostrar meu trabalho.

Kewerson: Tem um vídeo do Demetrio.nu que você dá bem gostoso para um cara. Como foi isso? Sentiu prazer de verdade?

Harry: Prazer eu senti e muito. Foi meu primeiro filme que fiz na vida, estou tão diferente hoje em dia, mas foi intenso vê todos por trás.



Kewerson: Já aconteceu de você ficar muito excitado e temer gozar antes do cliente, tendo de dar uma paradinha para não ejacular?

Harry: Muitas vezes, mas consigo segurar e mandar ver até ele se gozar todo. Experiente nisso.

Kewerson: Admitiu isso para o cliente?

Harry:  Admito claro, me concentro, tiro um pouco e depois de 5 minutos mando ver na pirocada, e pra gozar novamente demora muito.

Kewerson: Que posição te faz gozar com muita facilidade?

Harry: De 4

Kewerson: Programa com ejaculação é mais caro?

Harry:   Eu não sou qualquer um desses que cobram por isso. Não muda nada.

Kewerson: Você já fez programa e não gozou?

Harry: Varias vezes, mais clientes não fizeram questão disso.

Kewerson:  O que você faz para manter esse corpão bacana?

Harry: Malho para manter tudo em forma do jeito que gosto, sem exageros. Como de 3 em 3 horas variadas porções de comidas frutas e verduras. Odeio doce, chocolate, alérgico a leite, lactose e derivados.

Kewerson:  Você namora?

Harry:   Sim, atualmente namoro outro Garoto de Programa.

 Kewerson: Encontra alguma dificuldade em namorar por ser garoto de programa?

Harry: Dificuldade alguma, imagina, sempre falo dessa forma ... Me aceita como eu sou e o que faço ou não vai ter alguém que lhe valorize do seu lado.

Kewerson: Você se masturba?

Harry: Não tenho tempo nem pensamento pra me masturbar, de vez em quando, sim, sempre que acordo pela manhã.

Kewerson: Com que idade teve sua primeira relação sexual? Foi com homem ou com mulher?

Harry: Com 8 anos, já sabia o que queria. Foi com homem.

Kewerson: Pode me contar alguma tara bem indecente?

Harry: Tenho tara em foder namorado de cliente na frente dele, fazer tudo o que ele não consegue fazer com seu parceiro na cama. Deixar aquele gosto de quero mais a eles.

Kewerson: Admira algum ator pornô gay? 

Harry: Rafael Alencar conversamos muito  por inbox. Só putaria, ele é humilde e super gentil.

Kewerson: Existe alguém na mídia que te dá muito tesão, que você gostaria de traçar?

Harry: Existe e já tracei.

Kewerson: Pode me contar alguma transa que você adorou? Aquela do tipo “valeu a pena”. Com cliente, claro.

Harry: Há de um vídeo meu que postei no Blog. Uma foda gostosa de 5 da manhã as 11 da manhã. Aquela foda foi um espetáculo. Valeu a pena.

Kewerson: Já aconteceu de não rolar transa com algum cliente? Ele apareceu e não rolou?

Harry: Sim

Kewerson: Por qual o motivo?

Harry: Medo do meu pau, era primeira vez dele e ele ao ver o caralhão mole desistiu e eu o entendi claro. Não forço ninguém a fazer o que não quer.





Kewerson: Já trabalhou no exterior?

Harry: Suíça.

Kewerson: Tem vontade de ser um Rafael Alencar, um Alexander Freitas, um Harry Louis, um Rocky Gaúcho... Esses brasileiros que fazem ou fizeram sucesso no exterior?

Harry: Admirar eu admiro Rafael Alencar, mas ser um deles, não. Todos temos a capacidade de criamos nosso espaço e um dia eu chego lá.  Sei que estou fazendo a coisa certa para me igualar.

Kewerson: OK, Harry. Obrigado por responder as perguntas. Quer deixar algum recado para seu público?

Harry: Queridos, meu muito obrigado a todos vocês pelo enorme carinho para comigo, aos elogios, comentários, tudo, sou o que sou hoje por causa de cada um de vocês, fãs, seguidores, admirados do facebook, twitter , instagram tumblr entre todas as redes sociais. Um beijo no coração de todos e sempre vou estar aqui pra todas as horas.








Twitter: Harry Lins 
Tel.: (11) 95876-9269 Tim
Tel.: (11) 96875-0999 Oi
Tel.: (11) 97367-4867 Vivo
Tel.: (11) 98866-6182 Claro   
Harry Lins 
Biografia: PATRICK \'PADDY\' O\'BRIAN
05.08.2013 , A loka
Nome: Paddy O'Brian
Papel: Versátil(em alguns lugares apenas ativo)
Cabelo: Preto(Loiro)
Olhos: Verdes
Etnia: Branco
Tamanho do caralho:18 cm
Altura:1,73
Peso:75 kg
       Britânico Paddy O'Brian,fez sua estréia nos EUA na
hardcore em Falcon Studios 'Summer Lust, tendo voado-o a partir do Reino Unido em maio 2012, depois de ver alguns sizzling cenas explícitas do Reino Unido e performances solo dele.Além de um ótimo ator porno ele também é um ótimo boxeador.
"Depois de trabalhar com ele, eu sabia que ele era uma estrela, ele foi incrível para se trabalhar, um cara muito legal e ele fode como um campeão", disse o Verão Lust diretor Tony DiMarco. Paddy também impressionou a equipe Falcon o suficiente para que, lançando-o em um filme para o estúdio da companhia atletas. Eles basearam sua decisão de contratá-lo como um exclusivo sobre essas duas performances impressionantes.

Para ver o que atraiu Falcon para trabalhar com Paddy, não perca Galo Doido de UKnakedmen.com, sua primeira cena com outro homem. Neste filme, ele disse ser "98,9% em linha reta" e está vendo um terapeuta sexual para lidar com sua crescente atração para os homens. Também é quente para ver Paddy no uniforme de um policial, empurrando seu pau enorme no final do Policial azul Blake Um Fodido Meu Filho.

Paddy tem sido um favorito no Reino Unido, e não admira. Ele é um dos homens mais quentes que você já viu - perfeitamente esculpidas da cabeça aos pés, dotados de um rosto bonito e classicamente grande galo - e suas performances são tão emocionante quanto sua aparência.
AOS 26 ANOS, PATRICK O'BRIEN É UM DOS MAIORES PORN STARS DA ATUALIDADE. O BELO E SEXY INGLÊS COMEÇOU COMO MODELO DE UNDERWEAR EM 2010,QUANDO FOI DESCOBERTO NUMA ACADEMIA EM LEICESTER POR OLHEIROS DO SITE BANGLADS.COM. PAISAGISTA E BOXEADOR,'PADDY' DESCOBRIU-SE EM FRENTE ÀS CÂMERAS:"HONESTAMENTE, ACHO QUE NASCI PARA ISSO.QUANDO É PRECISO SER SACANA,EU SOU SACANA E CAIO NA GANDAIA. OS GAYS SEMPRE GOSTARAM DE MIM E EU FICO FELIZ DE PODER SATISFAZ-LOS.",COMENTA O BEM-DOTADO DE FRENTE E VERSO.



















Contos: Quarentão Gostoso
21.06.2013 , Big dotados
    Olá, olha eu aqui novamente para relatar mais uma experiência muito gostosa em minha vida, sou de uma cidade do interior do Maranhão. Eu tinha uns 18 anos quando, uma família se mudou pra casa ao lado da minha, eram 2 crianças e seus pais Cristina deveria ter uns 25 anos, e o Marcelo um Homem gostoso de 30 com um corpo super enxuto,umas coxas grandes e uma barriga trincada,e uma cara de safado,eles já estavam instalados na casa a uma semana,e meu quarto tem uma janela que bate de frente com a janela,do quarto do casal
Certo dia eu tava no meu quarto era umas 00:00 tava vendo uns vídeos gays,quando comecei a ouvir uns gemidos quando olhei pela janela,era o casal tava fazendo um 69,fiquei ali olhando eles se chuparem quando eles terminaram,deu pra ver o tamanho do pau dele nossa era enorme deveria ter uns 21,0 cm. Fiquei olhando aquilo e me punhetando até gozar,quando ele botou o pau dele naquela buceta,eu imaginei aquilo comigo, ele comendo todo o meu cuzinho bem gostoso, e eu cavalgando muito naquela Pica delicia, depois da minha imaginação fui dormir pensando no
vizinho gostoso.
Uns dias depois eu tava andando pela rua quando o vi eu não parava de olhar o zíper dele, e percebi que ele também tava me olhando muito com um olhar de safado. Quando cheguei em casa recebi uma noticia que me abalou, eu iria para outra cidade morar com uma tia minha para terminar meus estudos lá. Fui terminei meus estudos e tudo fiquei lá por uns 10 anos, tive uns casinhos, mas acabou quando eu tive que voltar para a minha cidade natal.
Chegando naquela rua lembrei de tudo que vivi lá, os amigos os peguetes e o vizinho,quando olhei aquela casa logo lembrei daquela transa dele com sua esposa,e minha vontade de ser enrabado por ele. Perguntei aos parentes se aquela família ainda morava lá, e ela disse que apenas o Marcelo, mas seus filhos e sua esposa não porque eles se separaram, há um ano. Logo me despertou uma vontade de rever o vizinho gostoso!
No outro dia de manhã, eu estava indo a padaria quando de repente, vejo o gostosão não mais com 30 anos e sim com 40 ainda tinha um corpo bem definido, nos entre olhamos e ele chegou perto de mim e me perguntou se eu era o filho da Dona... Que estava em outra cidade, eu respondi que sim e fomos conversando até a padaria, e voltamos conversando também até que entrei em casa e passei a tarde toda pensando no nosso papo pela manhã. Sempre tive o costume de ficar na frente de casa pela tarde vendo o sol se por, e reparei que o vizinho tava lá sentado, fui conversar com ele e ficamos conversando até a hora que começamos a falar de sexualidade, e ele disse que tinha se descoberto gay ativo, e que por causa disso ele tinha se separado da mulher, e isso foi só o que precisava ouvir, falei com ele:
-Vamos entrar lá em tua casa?
E ele com uma cara safada disse
-Se entrar já sabe o que vai acontecer né?
E eu falei
-É claro, e é isso o que eu quero.
Entramos e ele logo colocou uma música envolvente e se sentou no sofá de perna aberta (Daquele típico jeito de homem). Nossa foi à deixa certa, me joguei em cima dele e comecei a beija-lo, nosso beijo encaixou perfeitamente, fui beijando seu pescoço, mordendo sua orelha, lambendo a barriga dele de um jeito que ele gemia de tesão, ele me pediu pra ir buscar preservativos no quarto dele, e pegar umas bebidas na cozinha quando voltei à sala ele já tava sem cueca e seu pau durinho e foi então que ele me disse.
-Quer?
Eu logo respondi
-Claro que sim
-Então vem pegar, que ele ta te pedindo pra chupar ele que nem pirulito.

Aquilo me deixou doido, até eu fiquei com pau duro. Cai de boca naquela pica, ela parecia maior do que da ultima vez, mal cabia na minha boca, mas eu chupei, e chupei com uma vontade que nunca chupei outra na minha vida. Comecei na cabecinha, e fui lambendo e cada vez mais avançando, até que ele já gemendo de muito tesão gozou na minha boca, e tomei seu leite todo e que leite gostoso e quentinho, mas mesmo assim continuei chupei até o talo, e as bolas. Oh que bola deliciosa
grandes e com um pentelhos, gostei muito ele gozou mais duas vezes, e eu continuei tomando seu leitinho, até que eu já tava cansado de ouvir meu gostoso, gemer foi então que eu pedi a ele:
-Mete em mim meu gostoso
Ele falou
-Só se você colocar a camisinha na minha pica, com a boca certa?

Não tinha nem que perguntar respondi sim na mesma hora, ele abriu a camisinha e colocou só na cabecinha e disse.
-Agora é com você e sua boca não vale colocar a mão
Fui caindo de boca de novo naquele pauzão do vizinho, mas na parte final não tava dando pra puxar o resto da camisinha e pedi pra usar a mão ele me disse:
-Quais são as regras?Não pode tem que ser com a boca
-Mas... Mas
-Cala a boca e termina minha passiva
Aquilo me deixou numa vontade, foi então que puxei o resto cm o dente enquanto ele gemia, e quando tava no fim dei uma mordidinha naquele pau. Parece que aquilo deixou irritadinho foi quando ele reclamou:
-Aiii, agora tu vai ver.
Ele me virou de quatro e começou a lamber meu cuzinho, e eu gemia e gemia.
Então ele disse:
-Vou te afrouxar todinho
-Cuidado comigo Marcelo, vai devagar pq o seu é pau é bem grande, meu cuzinho nunca recebeu um assim tão grande e grosso.
Mas ele nem ligou pegou aquele pau grande e meteu com gosto no meu cu, e foi bom muito bom mesmo com a dor que eu tava sentindo na hora, ele metia freneticamente suas bolas batiam na minha bunda com uma força, mas tudo era uma delicia pq meu sonho era ter
aquela pica, no meu rabo. Depois disso me virou e levantou minhas pernas e meteu de novo e de novo,e eu só gemia e gritava de tesão foi então que ele me falou:
-Posso chupar sua Pica?

(Tudo bem minha pica não era bem grande quanto à dele mesmo assim)
Eu deixei. Ele chupava de um jeito que nunca tinha acontecido comigo, também gozei na boca dele também. E não foi que o desgraçado também me mordeu? Mas perdoei-o, depois daquela transa tão perfeita que fomos tomar banho juntos E o banho pegou foco vários amassos, embaixo d'água.
No fim fui pra casa e todo dias até hoje a gente se pega,ele me arranha,bate na minha bunda e me chama de minha cachorra e me come gostoso.
Quem se interessar ai está meu skype: codo.ma


Contos: Uma surpresa na noite
20.06.2013 , Big dotados        Bom dia.
Bem tive uma surpresa esta noite, e que SURPRESA hehe. Bom eu tenho 22 anos alto 1.87 m 85 kg bem distribuídos, estava eu saindo de casa e indo para casa da minha mãe as 18:40 ir jantar como de costume ,  um rapaz, que desde a minha adolescência sempre o admirei, me chama de longe pra conversar...
Ele: E aí cara, fiquei sabendo pelo seu irmão que você esta com um violão na sua casa para vender, é verdade?
Eu: Bem, eu tenho um violão sim que esta parado, mas não coloquei ele a venda, até porque eu nem o usei ainda, rsrs.
Ele: ata, saquei, mas pow não pensa em vender não?
Eu: Não, não, ele é meu xodó.
Ele: Tranquilo, rs, áh mais uma coisa, fiquei sabendo por aí que você curte uma parada diferente, éh verdade?
Eu: Bem eu gosto de ficar com homens, mais ninguém sabe a não ser minha família e agora você !
Ele: Pow cara a muito tempo sou afinzão de ficar contigo, me dá uma chance ai, vamos ali rapidin..
  EU geleii...kkkk pq não esperava essa reação dele, então EU ACEITEI É CLARO.
Um homem de 33 anos, moreno indío, mais ou menos 1.80 m forte , aparentemente com um volume que é o que me chamava a atenção nele kkkk...ele pediu para eu ir andando para uma rua deserta que tem aqui no bairro onde moramos, que ele estava indo em seguida... E então eis que surge ele, já de mala pronta, dava pra ver que ele realmente queria me pegar... ai entramos em um terreno baldio...fomos bem la pro cantinho...nunca havia ficado com héteros(encubados), do nada ele abre o short e SAI AQUELA PICA MORENA, PESADAA E GRANDE como o volume evidênciava, devia ter uns 21 cm chutando por baixo, me deliciei naquela pica...ele pedia para eu chupar tudo mais era muito grandeee..deixei a desejar..rsrs...ai depois de tanto chupar ele pede pra melar o pau dele e para eu ficar de quatro...TREMI NA BASE .. por que ja tinha uns 4 meses que eu não dava, mais eu que não ia perder a oportunidade, foi dificil de entrar kkkkk mais ele foi bem paciente e carinhoso, tentamos de várias posições em pé...até que ele senta no chão e pede para eu sentar...nossa quando sentei naquela pica eu vi estrelas...suahsuha...muito gostosa...senti cada centímetro dentro de mim, MARAVILHOSA A SENSAÇÃO, ME SENTI A PASSIVA MAIS REALIZADA NAQUELE MOMENTO, e ficamos la por 1 hora mais ou menos, até que ele se saciou e queria gozar na minha boca...e eu ainda tinha que ir na minha mãe jantar...ai virei e falei vai manda ver..kkk nossa foram tantos jatos dentro da minha boca que chegou transbordar puta que pariu...peguei e cuspi..não consegui engolir...ele ficou REALIZADO...e detalhe o cara mora em frente a minha casa...e disse que agora eu serei dele...kkkkk ai eu disse COM TODO PRAZER...ai chegou eu na minha mãe com um CALOR...ai minha mãe me pergunta..que foi filho?  ai viro e falo..nada não mãe eu estava com febre..tomei uma DIPIRONA..(tomei uma pirocada isso sim kkkk) e agora estou com calor...kkkkkkkkkkkk   Bom esse foi meu primeiro conto com um HÉTERO...ESPERO QUE VENHAM OUTROS..!!!
Contos: Insaciável
14.06.2013 , Big dotados
     Tenho 37 anos e trabalho como segurança, e para me manter em forma, procuro malhar sempre que possível e jogar uma altinha na praia. E por trabalhar fardado recebo muitas cantadas das mais atiradas e atirados também, sempre. Como sou viciado em sexo, uso a farda sempre muito justa pra destacar meus braços e peitoral, assim como as calças pra enaltecer minhas pernas e, o principal, que, modéstia parte, chama a atenção de qualquer um que olhe pra ele. Os detalhes do meu pau, eu vou deixar pro viadinho que comi junto com um amigo meu, num conto.

Era uma manhã chuvosa, tinha trabalhado a noite toda como segurança, rendendo um brother em outro empresarial, pra ganhar um extra. Infelizmente, não vi ninguém, e nenhuma prostituta fazia ponto pela área, pra ao menos me pagar um boquete durante o serviço. Decepções à parte, peguei meu ônibus e fui pra casa. Vi um pornô de leve, bati uma punheta e fui dormir. Lá pelas onze, um brother militar me liga falando que tava no matadouro que tenho próximo ao meu trabalho. Ele tava louco por ter comido um cuzinho virgem e sem frescura. Aquilo me atiçou. Comentei que ele me fez inveja pois eu havia passado a noite no 5 à 1. Joguei verde e disse que queria experimentar esse viadinho. Ele disse que tava indo pro segundo round e que se eu quisesse aparecer, segurava aquele cu pra mim. Não pensei duas vezes e partir pro matadouro, que por sorte não ficava muito longe.


Como eu estava cansado por ter trabalhado a noite toda, tomei um viagra e fui. Chegando lá em menos de 20 minutos, pela chuva já ter passado, abri a porta e fiquei olhando os dois fudendo. Meu amigo tinha passado três meses num quartel e por isso fodia como um coelho. Aquela pegação e os gemidos fizeram o meu pau enrijecer rápido. Voltou a chover forte, os gritos e sussurros já não eram mais tão altos, mas o franguinho rebolava e urrava como uma puta no cio. Assisti à aquela foda como se fosse um pornô. Como eles estavam de costas pra mim, acariciava meu pau por cima da bermuda. Parecia que ia estourar a qualquer segundo. Mas a minha hora havia chegado, meu amigo militar atirava jatos de porra na cara daquele viadinho. Ele me olhou sem espanto, com o rosto coberto de leite, sorriu por entre os dentes e disse: "Sempre sonhei em uma dupla penetração". Sem pensar, fui enfiando o dedo naquele buraco já aberto e gemi no ouvido dele. Cuspi naquele buraco ainda quente e enfiei a minha mão toda. Meu amigo abriu mais espaço e não perdi tempo, fui direto pro gol.

O militar ainda tinha forças pra fuder. O garoto que ele pegou na rua abocanhou o pau do meu amigo pra não gritar, mas vi seus olhos lacrimejarem. Aquilo me deu um tesão tão grande que fui metendo com força. Meu amigo fodia a boca e eu o cu. O franguinho rebolava aquela bunda e gemia com o boquete. Eu bati nas suas costas e o chamei de puta. O viadinho disse que estava adorando aquele seu primeiro dia, sua primeira vez e elogiava os corpos malhados que estavam lhe fodendo. Retirei meu pau e decidi por receber um boquete também. Aquele garoto estava em êxtase. Engolia todo o pau do meu amigo e olhava pro meu. Revirava os olhos e tentava engolir o máximo que aguentava. Ele se engasgava toda vez que tentava abrir mais a boca. Até decidir segurar com as duas mãos a minha rola. Ao perceber que eu era bem dotado, lambeu a cabecinha vermelha, revirou os olhos, abriu a boca e foi engolindo e enfiando até conseguir pagar uma garganta profunda. Segurei sua cabeça e forcei ainda mais. O frango vomitou e me sujou. Virei ele ainda procurando ar, me deitei sobre o sofá molhado de suor, joguei-o por cima de mim e sovei aquele cu com tanta força e rigidez que o viadinho gritou. Meti minha mão em sua boca e disse: se prepare para aguentar dois machos nessa sua bunda gostosa. Meu amigo militar não pensou duas vezes. Prendi o franguinho com meus braços, meu amigo segurou no quadril e penetrou também.

Sem conseguir abrir a boca para gritar, babou os meus dedos dentro de sua boca e os chupou. Eu e meu amigo metíamos com força aquele cu ao mesmo tempo. O viadinho parou de chupar meus dedos, estava a curtir a dupla penetração. Tirei meus dedos de sua boca, prendi o seu pescoço trouxe pra perto de mim, dei umas palmadas, cuspi em sua boca e lhe tasquei um beijo. O frango gozou sobre o meu abdômen na mesma hora. Raspei com os meus dedos e deu pra ele lamber. O safado chupou o meu dedo melado de porra como se fosse uma rola. Meu amigo anunciou que iria gozar. Deixei ele esporrar a cara daquela nossa putinha de leite, mas decidi por jogar toda a minha porra dentro. O viado urrou e desabou esgotado, tentei fazê-lo lamber o meu pau, mas ele não tinha mais forças.
Contos: ARMANDO PARA DAR PRO MEU AMIGO
12.06.2013 , Big dotados


Quando era adolescente, vivia fazendo troca-troca com meus amigos da rua, às vezes comia às vezes dava, às vezes era chupado, às vezes chupava, era muito bom, afinal de contas na minha rua não havia meninas da nossa idade, por isso tínhamos que nos virar entre nós mesmos.
Entre meus colegas de troca-troca, havia dois que chamavam muito a atenção pelo tamanho de suas rolas, aliás, um era pelo tamanho o outro era pela grossura. Seus nomes são Jânio e José respectivamente, na época todos tentavam fugir deles pra não serem arrombados, mas a sorte não batia pra todos e sempre alguém se ferrava.
Os anos se passaram e muitos de nós nos casamos, e fomos viver cada um pro seu lado, mas mesmo eu também me casando e nunca mais tive relações homo, nunca consegui esquecer o tamanho daquelas gebas de Jânio e José. Inclusive José e eu chegamos a aprontar com algumas garotas juntos, trocando de meninas durante uma foda sensacional, e eu sempre de olho naquela ferramenta grossa e descomunal, mas somente olhando, o que me fazia foder as meninas com mais vontade ainda.
Um dia pensei, acho que vou tentar ressuscitar meus tempos de troca-troca, e tentar dar pro José mais uma vez. Bom eu sei que ele não nega uma safadeza, então liguei pra ele e inventei a seguinte história: Uma amiga da faculdade havia me confessado que seu sonho sexual era o de transar com dois homens e eu me dispus a realiza-lo, convidando um amigo pra festinha. Esta minha amiga é loira com seus 1,70 de altura seios médios pra grandes, nem magra nem gorda, no ponto, e muito fogosa. Meu amigo aceitou na hora, então armei o circo, marquei o dia em que minha esposa não estaria em casa, aluguei uns filmes pra aquecer, e umas bebidas também. Tudo pronto agora era só esperar José e sua geba chegar.
Às nove e meia da manha José chegou em casa com a maior cara de tarado:
_ E aí cadê a gostosona?
_Daqui a pouco ela chega!
Sentamos conversamos um pouquinho e eu coloquei o filme pra gente ir se aquecendo, pois quando ela chegasse nossa intenção era arrebenta-la na pica (pelo menos era o que comentávamos) Ficamos assistindo filme e tomando vodka e cerveja até às 10:30h, quando simulei que meu celular havia tocado (fiz ele emitir um som de chamada) e fingi estar falando com alguém:
_Oi Fernanda, agente ta aqui te esperando... Porque? Ah! Não faz isso com a gente não, estamos no maior clima te esperando. Hã! Bom se é caso grave, então marcamos pra outro dia! Beijos. Não, tudo bem eu explico pro meu amigo! Tchau!
_Não vai me dizer que ela não vem?
_A mãe dela passou mal e ela teve que leva-la ao hospital, parece que vai demorar um pouco. Ela te pediu desculpas e que agente marca pra outro dia!
_Caralho eu to aqui no maior tesão e essa vaca fura com a gente!
_Você eu não sei, mas eu vou aproveitar os quatro filmes que aluguei e bater umas, já to ferrado mesmo, não tem buceta, me viro com minhas mãos.
_Fazer oquê? Qual o outro filme que vc pegou?...
Ficamos na sala tomando umas e outras, xingando a Fernanda pelo furo e assistindo pornozão, durante o segundo filme disse pra ele, é o seguinte, vamos ver quem demora mais pra gozar, quem gozar primeiro vai ter que bater uma bronha pro outro. Ele aceitou, justificando que quando bebia demorava muito pra gozar, e assim ficamos acariciando nossos pintos, cada um o seu, quando ele me disse:
_lembra de quando fazíamos troca-troca?
_Claro, como poderia me esquecer.
_bons tempos aquele.
_Tempos que não voltam mais. (falei esta frase com certo arrependimento)
_Só não volta se agente não quizer.
_Tá doido, dar a bunda depois de velho?
Demos boas risadas, quando ele pega seu falo pela base e me mostra aquela escultura e diz:
_se você quiser pegar um pouquinho, tudo bem.
_acho que é melhor agente parar de beber.
_Não que pegar?
Vagarosamente levei minha mão até aquela delícia e iniciei uma suave punheta, ele carinhosamente ficou acariciando minha mão sobre seu pau e foi subindo sua mão até minha nuca forçando vagarosamente minha cabeça em direção a sua rola, ao que fui cedendo lentamente até chegar tão perto que podia sentir aquele cheiro peculiar de uma pica, timidamente comecei passando a lingua sobre aquela enorme cabeça, e aos poucos fui me soltando até que já quase a engolia inteira, chupava a base, chupava pelos lados como se a estivesse escalando, sorvendo aquele mastro como que chupa um sorvete derretendo no calor, com vontade pra não derreter, mas eu sabia que tinha muita pica ali e ela não ia acabar, muito pelo contrario, meu plano estava dando certo , eu estava relembrando os velhos tempos de troca-troca, mas a pica de José agora me parecia bem maior, eu nem me preocupava se aquilo me arrombaria ou não, o que eu queria era ser preenchido com aquela tora.
Enquanto eu me acabava na rola de José ele começou a procurar minha bunda com as mão e massageá-la, querendo me excitar ainda mais, foi quando eu me levantei e disse:
_Se é pra lembrar do troca-troca, então tem que ter troca.
E coloquei meu pau pra ele chupar, ele sem a menor cerimônia segurou meu pau pela base e meteu a boca, ele sugava como se fosse um aspirador de pó, depois lambia-me o saco e voltava ao mastro, enquanto me chupava, lambia seu próprio dedo e iniciava uma massagensinha no meu rabo que me levou a loucura, só não gosei porque segurei. Mas estava uma delicia aquela chupeta, quando senti o primeiro dedo dele entrar no meu cuzinho, fui à loucura, quase mandei ele parar para sentar em seu pau, mas me contive, afinal tinha que aparentar que o que acontecia era obra do acaso, e não uma armação minha para dar pra ele, foi quando ele falou:
_fica de quatro aqui no colchão!
_espera um pouco.
Fui até meu quarto, peguei um pote de lubrificante e falei:
_Não economiza!
Fiquei de quatro e senti que ele me acariciava o rabinho, brincando com o dedo e o lubrificante, estava uma delicia, ele foi colocando um dedo, depois dói, três, quando os dedos saíram da minha bunda eu sabia que era a hora mais esperada daquele dia, José colocou a cabeça do seu pau na portinha da minha bunda e ficou brincando de empurra e volta, só brincando com a cabecinha do cacete, eu quase gritei pra ele enfiar logo, mas não precisou, ele percebeu o que minha bunda queria e lentamente foi colocando seu pequeno monstro no meu rabo, quando chegou naquele ponto onde o cu parece dizer,: _daqui não passa!
Ele deu uma forçada e a cabeça passou. Fiquei um pouco zonzo com a dor e a situação, é nessa hora que parece bater um certo arrependimento tipo o que que eu to fazendo? Mas não tinha volta e seu mastro lentamente foi sendo sugado por minha bunda até que senti seus pentelhos baterem nela.
_Entrou tudo! Você é foda. Não é todo mundo que agüenta minha rola inteira na bunda.
Aquilo soou como um elogio, a dor já dara lugar ao prazer, e eu corajosamente disse:
¬_Para de falar e fode esse cú!
O cara ficou maluco quando disse isso, ele começou a bombar feito um desgraçado eu sentia seu saco batendo no meu e meu rabo sendo alargado por aquela geba, quando o surpreendi mais uma vez:
_Pára! Pára!
_Que foi? Ta doendo?
_Não! Deita aí que eu vou sentar nesta delícia.
Ele me olhou com cara de quem não estava acreditando no que estava ouvindo, deitou-se no colchão, segurou a pica pra cima e eu vim contra ela, alojei na porta do meu cuzinho e lentamente seu mastro foi desaparecendo pra dentro de mim, até entrar todo. Parei, dei uma respirada e fui levantando lentamente, e abaixando de novo, e assim fiz por algum tempo, enterrava tudo depois subia naquela rola deliciosa, só quem já deu a bunda um dia sabe o quanto é prazeroso sentir-se preenchido por uma rola. De repente virei uma fera e iniciei uma cavalgada frenética, rebolava, sentava esfregava a bunda naquela loucura, quando ele anunciou que gozaria, aí eu fiz uma loucura, saltei de sua rola e a abocanhei deixando ele gozar tudo dentro, era tanta porra que escorria pela minha boca, quando ele acabou de gozar disse:
_o que aconteceu com você? Parecia uma puta!
_Eu tava com tesão, só isso.
_Espero que vc esteja com tesão mais vezes, porque nunca comi uma bunda desse jeito, que tesão da porra!
_É, mas agora vira aí que é minha vez...
Para que meu conto não fique muito extenso, todos sabemos que comi o cu do meu amigo só pra gozar, mas meu prazer já havia sido realizado.
Na próxima contarei como consegui dar pro meu outro amigo, o Jânio, detalhe, a pica do José tem 19cm e muito grossa(sei porque eu mesmo medi) a do Jânio tem 26,5cm e parece uma banana torta.
Se quiserem ler mais aventuras minhas é só comentar bastante, sou macho, mas gosto de uma rola, fazer oquÊ?




Contos: A IDADE DA TROCA
11.06.2013 , Big dotados
Quem nunca fez troca-troca na pré-adolescência que me atire a primeira pedra, porém, se atirar, eu a devolverei com pena dizendo: _Você deixou de viver uma das melhores fazes da descoberta sexual de um homem!
O conto que vou discorrer agora aconteceu no final dos anos 80, nesta época, eu estava com uns 18 anos, assim como a maioria dos meus amigos. Tínhamos o hábito de brincar nas construções da vizinhança, pois naquela época, meu bairro estava em expansão e havia muitas construções. E é numa destas construções que se passa a história que relatarei a seguir:
Era tarde de um dia de semana qualquer e Junior, Neto, Dú e eu brincávamos de polícia e ladrão, pois, todos estudávamos de manhã. Quando o tempo fechou muito rápido no meio de nossa brincadeira deviam ser umas duas da tarde e ninguém queria ir embora, combinamos então que quando a chuva começasse, correríamos para a construção do “Zé” para nos abrigarmos até que a chuva passasse, e assim foi, às três e meia a pancada de chuva começou e corremos todos para a construção do “Zé”, e ali ficamos molhados esperando que a chuva passasse, ainda bem que era verão e apesar da chuva, fazia muito calor. Então começamos a tirar nossas camisas e coloca-las estendidas pare secar em alguns cavaletes que havia na obra, aí, quatro moleques em plena descoberta sexual sem camisas e sozinhos numa construção que ficava nos fundos da casa do Dú, ou seja, sem a menor chance de alguém ir até lá, começaram as brincadeirinha apimentadas:
_Meu, vocês não vão acreditar no que eu vi ontem! (Disse Junior). Fui na casa do Neto e quando entrei no banheiro pra dar uma mijada ele estava lá e eu vi o pau dele. Quase tive um troço. É enorme!
_Verdade? (retrucou Dú)
_É deve ser do tamanho do meu dedinho do pé! (eu disse e todos demos risadas)
Foi aí que o Neto disse:
_Vamos ver então quem é que tem o pau maior?
_Vamos fazer uma aposta! Quem de nós tiver o pau menor vai chupar o pau maior e quem tiver o segundo menor, chupa o do segundo maior! (sugeri)
_Eu não vou chupar o pau de ninguém! (disse o Dú meio revoltado com a proposta, já que ele era gordinho e provavelmente tinha o menor pau de todos)
Após muita relutância todos aceitamos a aposta e tiramos no “dois ou um” pra saber quem mostrava primeiro, e ficou assim: o primeiro a mostrar o pau seria o Junior, depois eu, o Dú e por último o Neto. Ao tirar a calça, vi o pau do Junior, não era muito maior que o meu, mas era grosso, muito grosso, em seguida foi a vez do Dú abaixar o pequeno short, e me surpreendeu com uma rola maior que a do Junior, porém mais fina. Pensei, fodeu, se realmente a rola do Neto for grande como disse o Junior sou eu quem vai chupá-la. Abaixei meu short, mostrando minha pica que era um pouquinho menos que a do Junior, chegamos até a coloca-las encostadas uma na outra pra termos certeza se realmente a dele era maior, e era. Chegou o momento aguardado por todos, a hora de tirar a limpo a história contada por Junior sobre o tamanho da rola do Neto, e quando ele abaixou o short, meu queixo abaixou junto, o cara era um jumento, aquele negócio enorme pendurado entre suas pernas me deixou perplexo, pois ele era o mais novo entre nós e mais avantajado também, olhando para nossas caras ele disse:
_Alguém que medir comigo pra ver quem é o maior?
Eu tentei mudar as regras do jogo, dizendo que não era pra ninguém chupar ninguém, era apenas uma punhetinha, mas não teve jeito, os caras insistiram e até nos estranhamos um pouco quase partindo pra briga, mas trato é trato e enfim o Junior disse:
_É o seguinte, aposta é aposta, o menor é o do “kkakareka”, o maior é o do Neto, então tá aí a primeira dupla. O do Dú é maior que o meu, então eu chupo o Dú. Depois agente faz outras brincadeiras pra todo mundo sair “ganhando”!
Assim, topamos o acordo e ficamos muito sem jeito uns com os outro, já que estávamos todos num quarto da obra, o único que tinha janela e porta, e à meia luz, abaixei-me na frente do Neto e lentamente peguei em sua imensa rola (acho que devia medir uns 23cm) fiquei admirando, mesmo porque era realmente linda, até hoje eu me lembro daquela jeba e fico me imaginando com uma daquelas no meio das minhas pernas, certamente eu seria um ator pornô. Iniciei uma punhetinha leve fui me aproximando devagarinho, um beijinho na cabecinha e senti o Neto tendo um espasmo, uma contração, uma lambidinha, concentrei a punhetinha mais no alto próximo à cabeça vermelha de seu mastro, puxei a pele pra trás e dei a primeira bocada, um gosto salgado e diferente invadiu minha boca, era algo sujo e gostoso ao mesmo tempo, dei uma segunda bocada e assim comecei uma chupeta onde usava a língua ainda inexperiente em conjunto com meus lábios que são bem grossos pra um branquinho. O Neto estava ficando doido, segurava minha cabeça e forçava em direção a teu pau, mas devido ao tamanho, eu não colocava nem a metade na boca.
Olhei do lado e vi o Junior chupando a rola do Dú alucinadamente, ficamos naquela por mais ou menos uns 15 minutos, quando Junior levantou-se e disse:
_Tá na hora de fazermos outra aposta, também quero tirar uma casquinha. Vamos pela idade, ou o mais velho leva vantagem ou os mais novos, mas desta vez, não é pra chupar, é pra meter.
Assim combinamos e novamente nos atiramos ao velho “dois ou um” e os mais novos venceram e a ordem ficou assim, eu dava pro Neto e o Dú dava pro Junior. Relutei novamente dizendo que se eu chupei o Neto, agora ele deveria dar pra mim e não eu, e mais uma vez o chavequeiro do Junior nos convenceu de que depois mudaríamos a brincadeira e que no final todos teríamos dado e comido. Aceitei com um pouco de medo, pois o Neto era um jumento, mesmo assim, não neguei fogo, todos já estávamos pelados e começamos a sacanagem, me debrucei sobre um carrinho de mão que havia no quartinho e fiquei esperando a reação do Neto, que não demorou nada em ficar esfregando a cabeçona de sua rola na portinha do meu rabinho, confesso que aquilo me deixou bem excitado, era uma sensação muito boa, chegava a estremecer as pernas, aí ele iniciou uma pequena introdução e forçou a cabeça pra dentro de mim e parou um pouquinho, na verdade, mau tinha entrado mas ainda assim ele ficou uns instantes paradinho, depois forçou mais um pouquinho, mais um pouquinho e alcançou meu esfíncter. Aí doeu!
_Para, para, para! Tá doendo!
_Se não doesse nada não tinha graça! (Neto retrucou)
E forçou mais um pouquinho e parou, era uma dor terrível, eu olhei pro lado e vi o Junior mandando ver no rabo do Dú, eu perguntei se tinha entrado e o Júnior respondeu que sim. Perguntei ao Dú se não estava doendo, pois, Junior entrava e saia com força e ele me respondeu que não que estava muito gostoso, mesmo porque, enquanto o enrabava, Junior tocava uma punhetinha pra ele. Me senti ofendido, porque ele consegue e eu não. Não gosto de ser desafiado, olhei pra trás e disse:
_Neto! Tira esse pau daí, dá uma boa cuspida e põe de volta, se eles conseguem, agente consegue também!
Neto me olhou com uma cara de espanto, mas obedeceu, tirou o pouco que havia entrado, deu uma boa cusparada na cabeça, espalhou pelo resto do longo mastro e voltou a esfregar no meu rabo, com a lubrificação do próprio cacete dele ficou mais fácil a penetração, ele foi entrando devagarinho até chegar novamente ao esfíncter e parou. Eu disse:
_Quem mandou parar?
Ele forçou mais um pouquinho, e mais um pouquinho e mais um pouquinho e de pouquinho em pouquinho parecia que ele ia me arrebentar por dentro, mas o orgulho não me deixava nem mesmo reclamar, nem uma gemidinha sequer, e quando eu achava que não ia aguentar mais perguntei a ele:
_Já foi a metade?
_Já foi quase tudo! Falta menos de três dedos pra ele sumir em você!
O Dú e o Junior até pararam pra vir ver e não acreditaram quando viram o pau do Neto sumir dentro da minha bunda. Neste momento ele ficou parado pra meu cú se acostumar com o invasor, a dor foi sumindo bem lentamente e ele foi tirando de novo muito devagar, com muito jeitinho, depois colocando de novo. A esta altura Junior e Dú já estavam metendo novamente, mas desta vez, Dú estava sentando na pica do Junior, enquanto Neto ainda me comia bem devagar, colocava todo o seu cacetão no meu rabinho depois tirava quase todo e voltava pra dentro, eu estava com um tesão incrível, foi neste dia que descobri a delícia de ser bem comido e como é bom gozar com um pau no cú. Depois que já não sentia mais dores, disse ao Neto que podia aumentar a velocidade e ele prontamente atendeu, começou a socar com mais força me segurando pela cintura e estocando até o fundo, eu sentia uma sensação muito diferente de tudo o que já havia experimentado, mas muito gostosa também, aquela rola imensa e grossa sendo enterrada em mim me deixava com medo de derepente eu ser gay, mas ao mesmo tempo, não podia deixar de aproveitar todo aquele prazer e disse ao Neto:
_Deixa eu fazer igual ao Dú!
Ele se sentou no canto do carrinho, que não virou, porque havia três sacos de cimento sobre ele e eu me ajeitei sobre ele. Segurei sua jeba com uma das mãos e pedi a ele que “arregaçasse” minha bunda pra que não doesse, ele arreganhou minha bunda com suas duas mãos, coloquei a cabeça do seu mastro na entrada da minha bunda, e devagarinho fui sentando em tudo aquilo, mais uma vez, a outra dupla parou para nos assistir, quando eu percebi estava encostando minha bunda em sua pélvis. Mais uma vez, ele estava todo dentro de mim, assim, dominei os movimentos de vai-e-vem, sempre com ele me segurando pela cintura e me puxando com força quando eu descia. Houve um momento em que senti a rola dele engrossar e ele me anunciou o gozo, tentei me levantar, mas ele me segurou, como minhas pernas já estavam cansadas, não consegui escapar e levei a maior gozada dentro de mim. A sensação de uma gozada quente por dentro é muito boa, mas meu orgulho me dizia pra reclamar e xingar, e quase briguei mais uma vez, pra apaziguar a situação Junior me sentou no carrinho e me fez uma chupeta muito gostosa, assim me acalmei e acabei por gozar também.
A chuva estava passando e tínhamos que ir embora, mas ficamos de nos encontrar mais vezes para aquelas brincadeiras e assim o fizemos, tanto que devo ter pelo menos, mais umas quatro histórias daqueles bons tempos pra contar, tempos da “IDADE DA TROCA”.
Mas para escrever as outras histórias com meus amiguinhos, preciso do seu comentário. Comente, me escreva um e-mail, e me sentirei motivado a escrever as outras histórias.


OUTRO:

ARMANDO PARA DAR PRO MEU AMIGO
Quando era adolescente, vivia fazendo troca-troca com meus amigos da rua, às vezes comia às vezes dava, às vezes era chupado, às vezes chupava, era muito bom, afinal de contas na minha rua não havia meninas da nossa idade, por isso tínhamos que nos virar entre nós mesmos.
Entre meus colegas de troca-troca, havia dois que chamavam muito a atenção pelo tamanho de suas rolas, aliás, um era pelo tamanho o outro era pela grossura. Seus nomes são Jânio e José respectivamente, na época todos tentavam fugir deles pra não serem arrombados, mas a sorte não batia pra todos e sempre alguém se ferrava.
Os anos se passaram e muitos de nós nos casamos, e fomos viver cada um pro seu lado, mas mesmo eu também me casando e nunca mais tive relações homo, nunca consegui esquecer o tamanho daquelas gebas de Jânio e José. Inclusive José e eu chegamos a aprontar com algumas garotas juntos, trocando de meninas durante uma foda sensacional, e eu sempre de olho naquela ferramenta grossa e descomunal, mas somente olhando, o que me fazia foder as meninas com mais vontade ainda.
Um dia pensei, acho que vou tentar ressuscitar meus tempos de troca-troca, e tentar dar pro José mais uma vez. Bom eu sei que ele não nega uma safadeza, então liguei pra ele e inventei a seguinte história: Uma amiga da faculdade havia me confessado que seu sonho sexual era o de transar com dois homens e eu me dispus a realiza-lo, convidando um amigo pra festinha. Esta minha amiga é loira com seus 1,70 de altura seios médios pra grandes, nem magra nem gorda, no ponto, e muito fogosa. Meu amigo aceitou na hora, então armei o circo, marquei o dia em que minha esposa não estaria em casa, aluguei uns filmes pra aquecer, e umas bebidas também. Tudo pronto agora era só esperar José e sua geba chegar.
Às nove e meia da manha José chegou em casa com a maior cara de tarado:
_ E aí cadê a gostosona?
_Daqui a pouco ela chega!
Sentamos conversamos um pouquinho e eu coloquei o filme pra gente ir se aquecendo, pois quando ela chegasse nossa intenção era arrebenta-la na pica (pelo menos era o que comentávamos) Ficamos assistindo filme e tomando vodka e cerveja até às 10:30h, quando simulei que meu celular havia tocado (fiz ele emitir um som de chamada) e fingi estar falando com alguém:
_Oi Fernanda, agente ta aqui te esperando... Porque? Ah! Não faz isso com a gente não, estamos no maior clima te esperando. Hã! Bom se é caso grave, então marcamos pra outro dia! Beijos. Não, tudo bem eu explico pro meu amigo! Tchau!
_Não vai me dizer que ela não vem?
_A mãe dela passou mal e ela teve que leva-la ao hospital, parece que vai demorar um pouco. Ela te pediu desculpas e que agente marca pra outro dia!
_Caralho eu to aqui no maior tesão e essa vaca fura com a gente!
_Você eu não sei, mas eu vou aproveitar os quatro filmes que aluguei e bater umas, já to ferrado mesmo, não tem buceta, me viro com minhas mãos.
_Fazer oquê? Qual o outro filme que vc pegou?...
Ficamos na sala tomando umas e outras, xingando a Fernanda pelo furo e assistindo pornozão, durante o segundo filme disse pra ele, é o seguinte, vamos ver quem demora mais pra gozar, quem gozar primeiro vai ter que bater uma bronha pro outro. Ele aceitou, justificando que quando bebia demorava muito pra gozar, e assim ficamos acariciando nossos pintos, cada um o seu, quando ele me disse:
_lembra de quando fazíamos troca-troca?
_Claro, como poderia me esquecer.
_bons tempos aquele.
_Tempos que não voltam mais. (falei esta frase com certo arrependimento)
_Só não volta se agente não quizer.
_Tá doido, dar a bunda depois de velho?
Demos boas risadas, quando ele pega seu falo pela base e me mostra aquela escultura e diz:
_se você quiser pegar um pouquinho, tudo bem.
_acho que é melhor agente parar de beber.
_Não que pegar?
Vagarosamente levei minha mão até aquela delícia e iniciei uma suave punheta, ele carinhosamente ficou acariciando minha mão sobre seu pau e foi subindo sua mão até minha nuca forçando vagarosamente minha cabeça em direção a sua rola, ao que fui cedendo lentamente até chegar tão perto que podia sentir aquele cheiro peculiar de uma pica, timidamente comecei passando a lingua sobre aquela enorme cabeça, e aos poucos fui me soltando até que já quase a engolia inteira, chupava a base, chupava pelos lados como se a estivesse escalando, sorvendo aquele mastro como que chupa um sorvete derretendo no calor, com vontade pra não derreter, mas eu sabia que tinha muita pica ali e ela não ia acabar, muito pelo contrario, meu plano estava dando certo , eu estava relembrando os velhos tempos de troca-troca, mas a pica de José agora me parecia bem maior, eu nem me preocupava se aquilo me arrombaria ou não, o que eu queria era ser preenchido com aquela tora.
Enquanto eu me acabava na rola de José ele começou a procurar minha bunda com as mão e massageá-la, querendo me excitar ainda mais, foi quando eu me levantei e disse:
_Se é pra lembrar do troca-troca, então tem que ter troca.
E coloquei meu pau pra ele chupar, ele sem a menor cerimônia segurou meu pau pela base e meteu a boca, ele sugava como se fosse um aspirador de pó, depois lambia-me o saco e voltava ao mastro, enquanto me chupava, lambia seu próprio dedo e iniciava uma massagensinha no meu rabo que me levou a loucura, só não gosei porque segurei. Mas estava uma delicia aquela chupeta, quando senti o primeiro dedo dele entrar no meu cuzinho, fui à loucura, quase mandei ele parar para sentar em seu pau, mas me contive, afinal tinha que aparentar que o que acontecia era obra do acaso, e não uma armação minha para dar pra ele, foi quando ele falou:
_fica de quatro aqui no colchão!
_espera um pouco.
Fui até meu quarto, peguei um pote de lubrificante e falei:
_Não economiza!
Fiquei de quatro e senti que ele me acariciava o rabinho, brincando com o dedo e o lubrificante, estava uma delicia, ele foi colocando um dedo, depois dói, três, quando os dedos saíram da minha bunda eu sabia que era a hora mais esperada daquele dia, José colocou a cabeça do seu pau na portinha da minha bunda e ficou brincando de empurra e volta, só brincando com a cabecinha do cacete, eu quase gritei pra ele enfiar logo, mas não precisou, ele percebeu o que minha bunda queria e lentamente foi colocando seu pequeno monstro no meu rabo, quando chegou naquele ponto onde o cu parece dizer,: _daqui não passa!
Ele deu uma forçada e a cabeça passou. Fiquei um pouco zonzo com a dor e a situação, é nessa hora que parece bater um certo arrependimento tipo o que que eu to fazendo? Mas não tinha volta e seu mastro lentamente foi sendo sugado por minha bunda até que senti seus pentelhos baterem nela.
_Entrou tudo! Você é foda. Não é todo mundo que agüenta minha rola inteira na bunda.
Aquilo soou como um elogio, a dor já dara lugar ao prazer, e eu corajosamente disse:
¬_Para de falar e fode esse cú!
O cara ficou maluco quando disse isso, ele começou a bombar feito um desgraçado eu sentia seu saco batendo no meu e meu rabo sendo alargado por aquela geba, quando o surpreendi mais uma vez:
_Pára! Pára!
_Que foi? Ta doendo?
_Não! Deita aí que eu vou sentar nesta delícia.
Ele me olhou com cara de quem não estava acreditando no que estava ouvindo, deitou-se no colchão, segurou a pica pra cima e eu vim contra ela, alojei na porta do meu cuzinho e lentamente seu mastro foi desaparecendo pra dentro de mim, até entrar todo. Parei, dei uma respirada e fui levantando lentamente, e abaixando de novo, e assim fiz por algum tempo, enterrava tudo depois subia naquela rola deliciosa, só quem já deu a bunda um dia sabe o quanto é prazeroso sentir-se preenchido por uma rola. De repente virei uma fera e iniciei uma cavalgada frenética, rebolava, sentava esfregava a bunda naquela loucura, quando ele anunciou que gozaria, aí eu fiz uma loucura, saltei de sua rola e a abocanhei deixando ele gozar tudo dentro, era tanta porra que escorria pela minha boca, quando ele acabou de gozar disse:
_o que aconteceu com você? Parecia uma puta!
_Eu tava com tesão, só isso.
_Espero que vc esteja com tesão mais vezes, porque nunca comi uma bunda desse jeito, que tesão da porra!
_É, mas agora vira aí que é minha vez...
Para que meu conto não fique muito extenso, todos sabemos que comi o cu do meu amigo só pra gozar, mas meu prazer já havia sido realizado.
Na próxima contarei como consegui dar pro meu outro amigo, o Jânio, detalhe, a pica do José tem 19cm e muito grossa(sei porque eu mesmo medi) a do Jânio tem 26,5cm e parece uma banana torta.
Se quiserem ler mais aventuras minhas é só comentar bastante, sou macho, mas gosto de uma rola, fazer oquÊ?


OUTRO:

ARMANDO PRA DAR PRO MEU AMIGO II
Depois de ter conseguido dar pro Jose, agora minha meta era ter algo mais substancioso na bunda, algo que fosse maior e mais grosso, meu desafio desta vez era conseguir engolir pela bunda a rola do Janio. Não seria uma tarefa muito fácil, pois, Janio era muito metido a comedor de garotas e se gabava de seu falo imenso. O que na verdade era real, pois, a fama de sua pica enorme era conhecida por muitas, e tendia só a crescer cada vez mais, sendo assim, porque ele comeria a bunda de outro cara, se havia uma pancada de mulheres querendo dar pra ele? Realmente eu teria de me superar!
Chamei-o para tomar umas cervejas num bar próximo de nossa casa. Ele aceitou! Durante as brejas, conversamos sobre vários assuntos, principalmente mulheres. As mais bonitas, as mais gostosas, as que fodiam melhor, enfim chegamos onde eu queria: FALAR DE SEXO!!!
Minha intenção neste momento era excitá-lo ao máximo. E percebi que estava conseguindo. Estávamos os dois de bermuda tipo surfista e camisas regatas, porém, por causa do tamanho de sua ferramenta, o volume de seu pau aparecia na bermuda. Aquilo também me excitava, minha cabeça estava a mil bolando uma forma de arrastá-lo pra minha casa, e mais uma forma de dar pra ele.
Afirmo mais uma vez que não sou afeminado, e meu prato predileto são as mulheres, mas como já disse só quem já gozou com uma rola na bunda sabe do que estou falando.
Até que arrisquei. Sabia que ele adorava tomar amarula e em casa eu tinha uma garrafa pela metade, não pensei duas vezes:
_ Cara to me lembrando agora que em casa ainda tem meia garrafa de amarula, e vou detoná-la hoje mesmo!
_ Você vai nada, nós vamos. Zé. Pões estas na minha conta! Já pra sua casa!
Neste ponto já havíamos tomado umas oito garrafas de cerveja e ele ainda tomou duas doses de conhaque. Bem, eu mesmo mais disfarcei que bebi. Entramos no meu carro e fomos direto pra minha casa. Eu tremia de nervoso, pois, pra ele estávamos indo tomar a amarula, pra mim a tentativa de ser mai preenchido que da outra vez. Meu medo era de que ele não só não aceitasse como me denunciasse e daí eu tava ferrado.
Chegando em casa, peguei os copos, gelo e a bebida, quando voltei pra sala, ele estava vendo minha coleções de filmes e gostou de um pornosão que tinha lá.
_ Quero ver este! Posso?
_ O que quiser! Por dentro eu explodia de alegria, pois, alcoolizado, e excitado com um pornô, minhas chances aumentavam e muito.
Durante o filme sua pica mal cabia dentro da bermuda até que arrisquei tudo de vez.
_ Janio, me desculpa, mas não consigo assistir um filmão destes sem acariciar minha benga. E já fui tirando pra fora e alisando a cabeça do meu pau.
_ Se não tiver problema, posso também? Minha pica ta doendo dentro da bermuda.
_ Fica a vontade. A casa é nossa!
Gelei, o cara colocou o copo de lado, abriu a bermuda, e lentamente começou a tirar aquela maravilha de dentro. O desgraçado percebeu que eu não tirava os olhos e perguntou:
_ Gosta do que vê?
_ Se liga! Só não dá pra reparar no tamanho que tem isso. Você deve acabar com as putinha que trepa!
_ Isso é verdade! Depois que as minas me experimentam algumas querem repetir, mas a maioria nunca mais quer de novo!
_ Então você nunca deve ter conseguido comer um cusinho? Arrisquei de novo.
_ Já tentei várias vezes, algumas até consegui, mas por pouco tempo, logo elas dizem que está doendo e me pedem pra parar. Teve uma vez que eu estava fodendo uma loirinha linda, quando ela mesma me disse que queria me dar o rabinho, enlouqueci, mas sabendo da minha arma, fui com muito jeito e muito carinho comer aquela bundinha linda, nem passou três minutos e ela disse que não agüentava mais, pior que isso, é que nem a bucetinha dela eu consegui comer de novo. Foi foda!
_ Cara! Vou te dizer uma coisa. Esse papo me deu vontade de bater uma punhetinha! Disse já iniciando movimentos bem lentos na minha pica, ele já sem cerimônias, também iniciou uma bela punheta com aquele mastro. Assim ficamos por algum tempo, até que arrisquei novamente:
_ Não repara não, mas acho que deve ser o efeito da bebedeira. Posso saber como é pegar numa tora tão grossa? Ele agora poderia ter um número ilimitado de respostas. Poderia me escorraçar, tirar um sarro, zoar comigo o resto da vida, etc... mas ele respondeu:
_ Claro, pode pegar!
E afastou a mão que punhetava, deixando aquele monumento a minha mercê. Timidamente, segurei aquela jeba, e iniciei uma punhetinha bem lenta. Janio colocou as mãos na cabeça e ficou só me observando, depois de um tempinho o punhetando com uma mão, resolvi segurar com as duas e incrivelmente, se tivesse mais duas mãos, acho que ainda sobrava pica. Alisava seu saco, passava a palma da mão na cabeçona, fiquei ali uns quinze minutos brincando, quando senti a mão de Janio passando em minha nuca e me direcionando a sua pica:
_ O que você está fazendo Janio?
_ Sei que vocês está doido pra por na boca, to vendo que não para de salivar. Vai da uma bela chupada nele!
Não pensei duas vezes. Comecei lambendo a cabeça, depois percorri toda a extensão de sua monstruosidade com minha língua, chupava-lhe o saco e voltava a cabeça eu o estava deixando doido quando ele comentou:
_ Que delicia de chupeta, pena que não consigo gozar numa boca!
_ Como assim?
_ Por mais que seja gostoso, se eu não meter realmente, não consigo gozar. Você vai ficar me chupando a tarde toda até amanhecer o dia e em não vou gozar. O pau vai até amolecer, mas eu não gozo!
_ Pra gozar você tem que meter?
_ isso!
_ Então hoje vou quebrar teu galho! Disse isso e já fui tirando sua bermuda e a minha e ele me olhando com cara de espantado:
_ Você acha que agüenta pelo menos a metade da minha pica?
_ Se eu não agüentar tudo até você gozar eu mudo de nome!
Fui ao meu quarto peguei umas camisinhas e o K&Y (santo k&y), quando voltei, ele estava me aguardando alisando lentamente aquela maravilha. Pra manter o clima, caí de boca novamente e mamei feito um bezerrinho, depois virei-me e fiquei de frango assado, ele já colocava a camisinha e lubrificava seu Picasso eu comecei a lubrificar meu cusinho, quando ele disse:
_ Deixa que eu faço as honras!
E começou a lubrificar meu rabinho com sua língua. Fiquei louco, jamais imaginaria que ele fosse capaz disso, tanto que ele percebeu e me disse:
_ Surpreso com minha língua no seu cusinho?
_ Muito! Mas continua que está uma delícia.
Sem pressa ele ainda me chupou um bom tempo, alternando entre meu cusinho e meu saco, as vezes ele me punhetava chegando a me dar umas chupadinhas na rola, mas quando ele parou eu sabia que era a “HORA D” agora ele iria me atracar com aquela delícia. Ele pegou o K&Y, passou bastante no meu rabinho, enfiou um dedo, depois dois, quando enfiou o terceiro ficou só brincando de tira e põe e cada vez colocando mais lubrificante com uma mão enquanto a outra me punhetava, às vezes ele se abaixava e me dava boas chupadas no pau. Foi quando ele se levantou ficando à minha frente apontando aquele colosso em minha direção encostando em meu cuzinho e iniciou a brincadeira de pincelar, esfregando-o em mim. Fui ficando muito excitado e minha dilatação anal aumentava cada vez mais. Senti finalmente que ele iniciara a penetração.
Com muito carinho e calma, ele foi colocando milímetro a milímetro pra dentro de mim, quando chegou no esfíncter, que é o limite e ao mesmo tempo o início da verdadeira penetração ele parou e disse:
_ Acha que vai agüentar?
_ Por acaso eu mandei parar?
_ É que a partir daqui seu rabo vai arder!
_ Eu sei bem o que quero! Continua devagarzinho deste jeito, mas não para enquanto seu saco não bater na minha bunda!
Vi que ele ficou doido com minha resposta e continuou a atolar-me sua geba. Doía um pouco, mas eu estava agüentando firme. Quando pensei que não ia mais agüentar ele disse:
_ Puta que pariu! Entrou tudo!
_ Deixa ele paradinho aí um pouco pra eu me acostumar!
Assim ele deixou seu monumento todinho enterrado no meu cu até que fui me acostumando com tudo aquilo dentro de mim:
_ Vai metendo devagar!
Ele foi tirando lentamente e levemente colocando de novo. Me sentia como se estivesse sendo esvaziado e preenchido novamente à medida que ele entrava e saída de mim. Assim ficamos por algum tempo:
_ Foda-se meu cú. Mete essa porra. Me arregaça!
Disse isso e soou pra ele como se eu o tivesse ligado na tomada. Ele me segurou pelas pernas e afundou sua pica pra dentro de mim, parecia que estava batendo no meu estomago de tão fundo que entrava. E finalmente Ele disse algo:
_ Fica de quatro que quero meter vendo sua bunda!
Acho que meter em mim, por mais que estivesse gostoso, a visão do meu pau balançando acho que não o agradava muito, e sem frescuras tratei logo de obedecer. Ele apontou sua magnitude em meu rabo, foi empurrando devagarzinho até que meu cu sugou-o para dentro, muito louco, ele meteu em mim sem dó e eu agüentando firme achando uma delícia.
Dar a bunda para algumas pessoas dói porque elas não relaxam e se entregam verdadeiramente a aquele momento, pra mim é prazeroso porque aprendi a me soltar totalmente neste momento.
Publicidade Mundo Mais: Deleite-se com JB e Jonas
11.06.2013 , Big dotados

      JB (moreno) e Jonas (branco) eles são amigos de muito tempo e quando vieram fazer o trabalho pra gente, pediram pra fazer juntos. Tudo foi bem natural pra eles. Pegar no pau do outro, se abraçar e até a quase chupada do JB foi espotânea. JB é baiano, tem 23 anos e mora em São Paulo há seis anos, tem um dote bem grande e é bem desinibido. Jonas é muito tímido, paulista e tem 25 anos, um dote muito grosso e lindos olhos verdes. Acesse o site e confira no site Mundo Mais